Economia

ECONOMIA

Após renúncia de Presidente do Banco Central Argentino, dólar sobe e ações caem

Na manhã desta terça-feira (25) tornou-se pública a renúncia de Luis Caputo, presidente do Banco Central Argentino. Será substituído por Guido Sandleris. Os “mercados” reagem à saída do presidente do BCRA. A desvalorização aumenta e o dólar passa a valer $40,80 (pesos, moeda argentina) em algumas entidades bancárias. As ações argentinas em Wall Street caem em quase 8%.

terça-feira 25 de setembro| Edição do dia

Luis Caputo, o titular do Banco Central, renunciou nesta terça-feira ao seu cargo. As primeiras versões indicam que o funcionário não concordaria com o novo acordo ao qual se poderia chegar com o FMI.

Segundo comunicado difundido pelo Central, a renúncia se deu por “motivos pessoais” e que “o acordo com o Fundo Monetário Internacional reestabelecerá a confiança frente a situação fiscal, financeira, monetária e cambiária”.

No mesmo comunicado se sinaliza que Caputo expressou ao presidente Macri “todo seu agradecimento pela confiança depositada para ocupar diferentes cargos”.

Versões jornalísticas indicam que uma das tensões ao interior do governo estava relacionada com o montante adicional que implicaria um novo acordo com o FMI.

O risco do país argentino saltou mais de 30 unidades, 5%, até os 644 pontos básicos. O indicador do JP Morgan calcula o diferencial da taxa dos títulos do Tesouro norteamericano com os emitidos pelas economias “emergentes”.

A renúncia do ex JP Morgan voltou a alarmar o capital financeiro e a desvalorização do peso volta a se acelerar. Enquanto cresce a incerteza, o governo negocia uma aplicação de um acordo com o FMI. Cambiemos comemorou a relativa calma da semana passada, mas a primavera durou pouco. A crise segue em curso.




Tópicos relacionados

Paralisação Nacional Argentina   /    Argentina   /    Economia   /    Internacional

Comentários

Comentar