Mundo Operário

GREVE TRABALHADORES UNICAMP

Após corte de ponto, comissão de trabalhadores passa a noite esperando reitor intransigente

Os trabalhadores da Unicamp, em especial do HC e do Caism, deliberaram em nova assembleia hoje a continuidade da greve apesar do corte de ponto que a reitoria junto com os diretores usaram para negar o direito de greve dessas trabalhadoras.

terça-feira 3 de julho| Edição do dia

Após a assembleia, dirigiram-se em ato até a reitoria, onde exigiam uma negociação do corte de ponto. Por volta das 15h, uma comissão de trabalhadores foi convidada pela reitoria para uma reunião. Os trabalhadores relatam ter presenciado a chegada de Knobel no prédio. Porém, até o momento do fechamento dessa matéria, o reitor não deu satisfação aos trabalhadores da comissão de negociação.

Chegada a noite, Knobel avisou que não compareceria na reunião, de modo que a comissão se recusou a se retirar da sala de reunião até que o reitor chegasse e abrisse a reunião, mesmo que necessitem passar a noite no prédio em repúdio a sua intransigência.

Tentou lavar as mãos passando para os diretores o corte de ponto, mas deixa claro que é autoritário e repressivo contra a tentativa desses trabalhadores se salvarem do arrocho, defenderem o hospital, o atendimento às mulheres e a educação. Agora famílias ficarão sem seu sustento graças ao reitor Knobel.

Nós da Faísca Unicamp estamos desde o princípio dessa greve nos solidarizando e levando apoio. Chamamos todos a cercar de apoio essa greve e repudiar esse corte de ponto que ataca o direito de greve dos trabalhadores!




Tópicos relacionados

Reitoria   /    Greve das estaduais paulistas   /    Unicamp   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar