Mundo Operário

METROVIARIOS DE SP

Apoio da população aos metroviários chega ao 2º lugar no Twitter SP

segunda-feira 29 de abril| Edição do dia

Nesta segunda-feira, 29, nós do Esquerda Diário realizamos um Twitaço em apoio à mobilização dos metroviários de São Paulo na luta por seus direitos e contra a Reforma da Previdência. A campanha nas redes chegou ao 2º lugar entre os assuntos mais comentados na cidade de São Paulo e ficou por mais de 3 horas entre os 10 assuntos mais comentados nas redes.

O apoio aos trabalhadores metroviários se expressou desde categorias como de garis do Rio de Janeiro, professores estaduais e municipais de São Paulo, trabalhadores e estudantes da Universidade de São Paulo, estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Federal do Rio Grande do Norte e de Minas Gerais, além de muitos outros apoiadores que enviaram suas mensagens individualmente, como o cartunista Carlos Latuff e o Deputado Celso Giannazi.

A campanha foi chamada em resposta à perseguição do governador João Doria e da chefia do Metrô, que começaram a punir arbitrariamente os trabalhadores metroviários que estão se manifestando contra a reforma, como expressamos neste texto.

O grande apoio demonstrado nas redes sociais é uma mostra de como esta mobilização possui um grande potencial de se ligar a setores mais amplos, pois a Reforma da Previdência representa um grande ataque para a totalidade da classe trabalhadora. O governo Bolsonaro tenta através de campanhas convencer a população de que a Reforma é para atacar privilégios, mas isso é pura falácia. O grande alvo desta reforma é a aposentadoria daqueles que mais necessitam, e a verdadeira intenção desse governo é beneficiar os sanguessugas detentores dos títulos da fraudulenta dívida pública, que escoa o dinheiro que deveria ser investido para obras públicas, saúde, educação e moradia para enriquecer os grandes capitalistas.

Viemos colocando que a luta dos metroviários precisa sair do isolamento e para isso é fundamental que as centrais sindicais convoquem assembleias de base para organizar os milhões de operários que dirigem para que possam decidir e tomar em suas mão os destinos dessa luta e colocar de pé uma verdadeira greve geral no dia 14 de junho a partir de paralisações reais nos locais de trabalho e nós do Esquerda Diário, Movimento Revolucionário de Trabalhadores, Juventude Faísca , Quilombo Vermelho e Grupo de Mulheres Pão e Rosas colocamos nossas forças a serviço de fortalecer essa luta.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    João Doria   /    Reforma da Previdência   /    Metrô   /    São Paulo (capital)   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar