Educação

Apeoesp limita participação dos professores contratados no Encontro da Categoria O

Grazieli Rodrigues

Professora da rede Estadual em Campinas

sexta-feira 11 de agosto| Edição do dia

A Apeoesp está organizando para este sábado, dia 12/08, um encontro de professores categoria O para discutir a situação dos contratados e diz que vai organizar um plano de lutas. No entanto, o maior sindicato da América Latina, contraditoriamente limitou a participação dos professores categoria O à dois por subsede. Em Informe Urgente publicado no dia 08/08, a direção do sindicato alega que limitou a participação dos contratados justamente por falta de espaço físico, o que é no mínimo um absurdo, afinal nem consultaram os professores sob seu interesse em participar e se o tivessem feito, com certeza seríamos muitos.

Diante de todos os ataques que a classe trabalhadora vem sofrendo, desemprego aumentando e a lei de terceirização irrestrita sendo aprovada e a Apeoesp ao invés de chamar uma atividade para impulsionar com toda sua força os categoria O para luta, simplesmente chama um encontro com um caráter super formal, limitando a quantidade de professores à participar.

A categoria de professores em especial vêm sendo alvo de todos os tipos de humilhação do governo tucano. Sem reajuste salarial desde de 2014, com um salário corroído pela inflação, muito abaixo do previsto pelo DIEESE, o governo ainda soltou resolução durante as férias de julho anunciando que demitirá os professores efetivos que contabilizarem certo número de faltas.

O discurso de que os efetivos e categoria F tem estabilidade está caindo por terra, cada vez mais vemos essa estabilidade questionada pela necessidade de se dividir entre três, quatro escolas por exemplo como regra para que o professor possa trabalhar. O governo golpista veio para acabar com qualquer tipo de estabilidade no funcionalismo público e somente a força da classe trabalhadora pode reverter esse cenário de instabilidade, a direção majoritária da Apeoesp tem que dar um grande exemplo de luta contra os ataques à categoria, mas também levantar a bandeira da efetivação imediata de todos os professores contratados, independente da letrinha que pertence e também dos professores "estáveis".

A categoria dos professores é majoritariamente feminina, isso num país onde a terceirização tem rosto de mulher, portanto tem que ser essa categoria a dar exemplo na luta contra a terceirização, contra a PEC do "fim do mundo", contra a reforma da previdência, não podemos aceitar trabalhar até morrer ou mesmo que se iguale o tempo de contribuição entre homens e mulher, enquanto ignoram as duplas e triplas jornadas que nós mulheres temos que cumprir sem qualquer remuneração. Nós professores também não estamos isentos da Reforma Trabalhista recém aprovada e que vem para institucionalizar a precarização e regularizar aberrações como a "uberização" do trabalho docente.

No marco de tantos ataques é um escândalo que a Apeoesp limite a participação dos professores nesse encontro, nossa disposição é de luta e é a atual direção da Bebel e da CUT que fogem das batalhas necessárias à categoria, como a efetivação dos contratados enquanto negociam nossos direitos.

Nós do Professores pela Base estaremos lá no sábado ocupando o plenário e denunciando os ataques desses governos, exigindo da Apeoesp uma grande luta que coloque a vida dos professores e professoras do Estado de SP à frente dos projetos e interesses de Alckimin e Temer. E convidamos todos para o Encontro de professores: contra as reformas, pela educação! que realizaremos em SP dia 19/08, para discutir as reformas e os ataques à educação e aos professores, só nossa luta organizada pode barrar o conjunto dos ataques e o imobilismo do nosso sindicato, esperamos todos vocês!




Tópicos relacionados

Apeoesp   /    Professores São Paulo   /    Educação   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar