Sociedade

EXÉRCITO

Ao lado de Temer, comandante da Marinha declara ’crise não será mais forte que nós’

sexta-feira 9 de junho| Edição do dia

Em mensagem durante as comemorações do Dia da Batalha Naval do Riachuelo, o comandante da Marinha, almirante Eduardo Bacelar Leal Ferreira, disse que "por mais grave" que a crise se apresente, ela "não será mais forte do que nós". A fala do almirante foi ao lado presidente Michel Temer, que acompanhou as comemorações no Grupamento de Fuzileiros Navais, ao mesmo tempo em que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reiniciava a sessão de julgamento da ação contra a chapa Dilma-Temer.

Na sua fala, o almirante reconheceu que "vivemos tempos difíceis e incertos", mas pediu aos militares que mantenham "hierarquia e disciplina". Ele avisou ainda que a Marinha junto com Exército e Aeronáutica "cumprirão rigorosamente os deveres constitucionais"

O almirante, que usou sua ordem do dia para comparar o enfrentamento e a Vitória do almirante Barroso na batalha de Riachuelo com as "condições adversas" enfrentadas hoje no País, disse que é preciso "enfrentar as dificuldades do presente com coragem e determinação" diante das condições adversas, salientando que, como atrás, os problemas serão vencidos.

O almirante pediu ainda que sejam mantidos os recursos para a Marinha continuar a defender o Brasil "a despeito dos problemas internos", já que existem também problemas externos ameaçando a paz.

Na última ação de protesto contra as reformas, no dia 24 de maio em Brasília, o golpista Temer emitiu um mandato de Garantia de Lei e Ordem contra a enorme manifestação operária em Brasília, ação que colocou o exército herdeiro da ditadura militar para assumir posição de polícia e reprimir diretamente os manifestantes.

Pode te interessar: Exército treina como reprimir a greve geral na região de Campinas




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Michel Temer   /    Repressão   /    Sociedade

Comentários

Comentar