Educação

JOÃO DORIA

Além de merenda, Doria também quer crianças sem professores

O prefeito que teve que se explicar nas redes sociais depois de denúncia sobre racionamento de merenda nas escolas agora demite milhares de professores.

segunda-feira 14 de agosto| Edição do dia

Muitos devem ter visto a denúncia que fiz no Esquerda Diário que viralizou pela internet, sobre Doria proibir as crianças das escolas e creches municipais de repetirem a merenda na escola, mesmo que ainda estejam com fome. A denúncia teve milhares de compartilhamentos e foi replicada por diversos outros sites, sendo confirmada por muitos professores, funcionários e pais de alunos. Doria foi obrigado a se pronunciar sobre o assunto, confirmando o racionamento de comida e argumentando que é um programa contra a obesidade infantil (!).

Nós, professores sabemos qual é a dura realidade de nossas crianças, que chegam nas escolas subnutridas e com fome pela pobreza e pelas dificuldades das famílias, pioradas pelo desemprego e as reformas dos golpistas. Doria é um cínico ao dizer que menti sobre ele negar comida as crianças.

Não satisfeito em tirar comida da boca de crianças Doria quer aprofundar também a falta de professores na rede municipal de ensino. Ele, que mora na quarta mansão mais cara da cidade, não vai descansar enquanto não acabar com o futuro das crianças.

Essa nova denúncia foi feita por diversos professores contratados do município que me procuraram nos últimos dias para relatar os absurdos que a prefeitura tem feito com eles.

A prefeitura encerra os contratos dos professores depois de 6 meses, que ficam desempregados sem receber nenhum tipo de direito trabalhista ou rescisão. Enquanto isso os alunos ficam sem aula, já que não são contratados novos professores, muito menos a prefeitura autoriza chamar os aprovados no último concurso.Aliás muitos desses aprovados são professores que já atuam na rede como contratados.

Outro absurdo são os contratos de professores que ficam à disposição da prefeitura para substituir ausências ou licenças em qualquer parte da cidade, ou seja, o professor precisa ficar correndo de um lado para o outro da cidade, sem estabilidade e sem poder realizar um trabalho contínuo com uma turma ou ao menos uma escola.

Contratar professores por apenas 6 meses é no mínimo um escândalo. Como um professor pode junto a seus alunos aprofundar relação e experiências, nessa fase tão inicial da aprendizagem das crianças, da qual a rede municipal é responsável, com tão pouco tempo? Como alfabetizar em 6 meses e em salas super lotadas, com crianças com fome, porque Doria nega merenda?

Como os professores podem dar uma vida minimamente digna para suas famílias com a sombra do desemprego rondando e com empregos precários?

Doria esta implementando na rede municipal a politica de destruição da educação, como faz Alckmin na rede estadual. Salas super lotadas, professores desvalorizados e em subempregos, merenda roubada das crianças, fechamento de salas, etc.

Aprofundam o quanto podem a precarização da educação para depois Doria e seus parceiros venderem a educação publica a preço de banana para empresários com sede de lucro. Privatizar e terceirizar a educação são os objetivos de Doria e Temer, com o aval do golpista Michel Temer e suas reformas contra as nossas vidas.

Por isso chamamos todos os professores ao Encontro de Professores, no próximo sábado dia 19, às 15 horas, na Casa Socialista Karl Marx (metrô Vila Madalena).

A nossa indignação com essa situação pode e deve ser canalizada em luta. Nós professores somo uma força social importante contra as reformas dos golpistas e os ataques tucanos contra a educação.

Mais informações aqui.




Tópicos relacionados

Professores São Paulo   /    João Doria   /    Máfia das Merendas   /    Greve professores SP   /    Educação

Comentários

Comentar