Política

ELEIÇÕES 2018

Alckmin chama Bruno Covas para coordenar sua campanha de privatização e ataques

Geraldo Alckmin, que governou o Estado de São Paulo sob uma gestão de ataques, como fechamento de escolas, o escândalo da Merenda, agora se une a Bruno Covas, que na prefeitura de São Paulo é fiel aos planos de Doria. Aliança para consolidar ainda mais o projeto privatista e de ataques aos trabalhadores que Alckmin quer implementar.

terça-feira 10 de julho| Edição do dia

O Ex-governador Geraldo Alckmin, candidato à presidência pelo PSDB, anunciou pelas redes sociais, o prefeito da capital paulista, Bruno Covas, como coordenador de sua campanha presidencial no Estado de São Paulo.

Bruno Covas traduz exatamente o sentido pelo qual Alckmin se lança à presidência e os objetivos claros pelos quais seu projeto de governo se propõe à agradar. Covas, que atualmente é substituo de Doria no governo municipal de São Paulo, avançou na implementação da agenda de ataques do ex-prefeito contra os trabalhadores e população pobre da cidade.

Aliado à burguesia, Covas se reuniu em Londres em junho deste ano para continuar com o projeto elitista, privatista e higienista de João Doria: lá ele apresentou a investidores em um evento ocorrido na embaixada Brasileira em Londres ativos disponíveis para concessão ou privatização, no foco estão: Complexo do Anhembi, Autódromo de Interlagos, Estadio do Pacaembú e o aeroporto Campo de Marte.

A política que leva Doria, que atualmente se candidata para governador do Estado, e Alckmin, agora com apoio de Bruno Covas tem como objetivo principal massificar projetos de privatização e promover todo tipo de ataque aos direitos do trabalhadores, como mostraram os 14 anos de gestão de Alckmin. Essa aliança, mostra que Alckmin se mantêm firme na disputa eleitoral, buscando aliados que possam traduzir seu projeto declarado de governo: privatização e ataques.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Alckmin   /    São Paulo   /    Política

Comentários

Comentar