Mundo Operário

MORTES EM BELO MONTE

Acidente em obras de Belo Monte deixa 3 operários mortos 3 três feridos

Ao todo, três operários morreram e outros três ficaram feridos por conta da queda de um silo de estocagem de cimento nesta madrugada no canteiro de obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, informou o Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM).

terça-feira 2 de junho de 2015| Edição do dia

Ao todo, três operários morreram e outros três ficaram feridos por conta da queda de um silo de estocagem de cimento nesta madrugada no canteiro de obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, informou o Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM).

O acidente ocorreu às 2h na área que armazena o material da construção quando um caminhão descarregava cimento.

Três operários que trabalhavam no local foram resgatados com ferimentos, um deles com fratura no ombro. Os outros três homens, inicialmente declarados desaparecidos, foram encontrados sem vida depois de quase 15 horas de busca do Corpo de Bombeiros nos escombros.

As vítimas, que trabalhavam como ajudantes de produção, foram identificadas como Denivaldo Soares Aguiar, José da Conceição Ferreira da Silva e Pedro Henrique dos Santos Silva.

A Polícia Militar do Pará abriu investigação para determinar as causas da queda do silo, que tinha capacidade para 500 toneladas de cimento. Em comunicado, a construtora informou que irá colaborar com a investigação "com todos os esforços possíveis".

Os escândalos de repressão às greves destes trabalhadores, que desejam conquistar melhorias mínimas numa situação de trabalho terrível e insalubre (onde se encontram ratos naquilo que se bebe), se tornam mais detestáveis quando se noticiam as mortes de mais operários nestas obras patrocinadas pelo governo de Dilma e do PT, junto às construtoras, maiores financiadoras da campanha eleitoral do PT.

As obras do PAC petista com a Odebrecht, a Camargo Correia, a OAS e demais construtoras, a maior parte envolvidas nos escândalos de corrupção da Petrobrás, são a marca de um país impregnado de acidentes e mortes de trabalho, que durante a década petista triplicou o flagelo da terceirização do trabalho para 12 milhões de trabalhadores, e aqueles que não adoecem ou morrem nas obras, são perseguidos por lutar.

Quem pagará por estas mortes? Pelos indígenas desalojados e perseguidos, desaparecidos e mortos pelos capangas das construtoras? Dilma, Lula e o PT silenciam sobre isto. Belo Monte, além de um estrago a todo o meio ambiente, é uma verdadeira tumba de trabalhadores.




Tópicos relacionados

Mundo Operário

Comentários

Comentar