Sociedade

PSL

Absurdo: Alesp homenageará o assassino Pinochet

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) marcou um ato em homenagem à memória do sanguinário ex-ditador do Chile, Augusto Pinochet.

quarta-feira 20 de novembro| Edição do dia

Imagem: Agencia Publica

O evento, disponível no site da Alesp, foi solicitado pelo reacionário deputado estadual Frederico D’Ávila, do PSL. Ainda não há detalhes sobre como será cerimônia que será realizada no dia 10 de dezembro.

Frederico está pronto para ir Aliança pelo Brasil. Recentemente, o deputado sinalizou em seu Twitter que estaria mudando de partido:

O escandaloso apoio da Alesp ainda escondeu o nome de Pinochet. No site consta como Augusto P. Ugarte, que é seu nome completo, porém pouco conhecido.

Em setembro, quando Jair Bolsonaro ainda era do PSL, este destilou ofensas contra a chilena e atual comissária dos Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet, que foi torturada na ditadura de Pinochet. Após a ex-presidente chilena criticar o governo brasileiro a resposta do presidente brasileiro foi a de elogiar torturadores e ao governo ditatorial de Pinochet, fazendo piada da morte do pai de Bachelet, assassinado pela ditadura chilena.

“Diz ainda que o Brasil perde espaço democrático, mas se esquece que seu país só não é uma Cuba graças aos que tiveram a coragem de dar um basta à esquerda em 1973, entre esses comunistas o seu pai brigadeiro à época” disse Bolsonaro a época.

Vale lembrar também que Bolsonaro em julho já havia dado declarações bastante polêmicas e reacionárias sobre a ditadura militar no Brasil, mais especificamente falando que se o atual presidente da OAB, Fernando Santa Cruz, quisesse se informar sobre a morte de seu pai, assassinado pelo regime militar no Brasil, poderia falar com ele, Jair Bolsonaro, pessoalmente.

A sanguinolenta ditadura chilena Foram mais de 3.200 mortos e 38.000 torturados. Segundo a presidente da Associação de Familiares de Executados Políticos (Afep, na sigla em espanhol), Alicia Lira, há mais de 1.500 casos abertos ainda sem resposta das Forças Armadas.

Em meio a mobilizações de massas nas ruas contra a constituição assassina da Pinochet, o neo-liberalismo e a austeridade contra o povo pobre o PSL faz questão de mostrar seu lado mais reacionário. Com a medida, no entanto, demonstram seu medo de que as jornadas revolucionárias do Chile cheguem até aqui. É preciso que se organize um enorme rechaço a essa direita reacionária brasileira e um grande apoio aos chilenos que se levantam, e a todos os povos da America Latina que se levantam contra o capitalismo.

Convocamos todos ao ato em repúdio a essa absurda homenagem na ALESP.
https://www.facebook.com/events/2157456994353797

Fonte de informações: Revista Exame




Tópicos relacionados

Pinochet   /    Golpe militar no Chile    /    Chile   /    Sociedade

Comentários

Comentar