Mundo Operário

GREVE DA PETROBRAS

A vitória dos petroleiros pode barrar a privatização das 8 refinarias e dezenas de terminais

Saiba quais são as refinarias e terminais da Petrobras na mira de Bolsonaro e Paulo Guedes para privatizar. A Greve dos Petroleiros entra em seu 10º de enfrentamento contra as 1000 demissões na Fafen e as privatizações.

segunda-feira 10 de fevereiro| Edição do dia

Como noticiamos aqui, já são 10 dias de greve dos petroleiros com adesão em todo o sistema Petrobras. A força dos petroleiros mobilizados é o que pode barrar as 1000 demissões e as privatizações planejadas por Bolsonaro e Paulo Guedes.

Estão na mira da privatização:

Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco

Refinaria Landulpho Alves (RLAM), na Bahia

Refinaria Getúlio Vargas (REPAR), no Paraná

Refinaria Alberto Pasqualini (REFAP), no Rio Grande do Sul

Refinaria Gabriel Passos (REGAP), em Minas Gerais

Refinaria Isaac Sabbá (REMAN), no Amazonas

Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), no Paraná

Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (LUBNOR), no Ceará

O mapa de privatização das refinarias é assustador. Junto com a privatização, como de costume, vem um série de demissões. Na Fafen (Fábrica de FFertilizantes Nitrogenados do Paraná) são cerca de 1000 demissões que os petroleiros em greve lutam contra.

Essa greve pode cumprir um papel histórico para os trabalhadores e população de todo o país que sofrem com o desemprego beirando os 12%. Por isso a mídia burguesa não fala nada sobre essa greve histórica, realizando um verdadeiro cerco, para impedir que a ampla maioria dos trabalhadores do país saibam que é possível derrotar os capitalistas e sua sede de lucro.




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro   /    Petrobras   /    Privatização da Petrobras   /    Demissões   /    Greve dos Petroleiros   /    Desemprego   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar