Sociedade

FALECEU AOS 69 ANOS

A arte despede-se de David Bowie, um ícone da diversidade

Nesta Segunda-feira, sua família confirmou a notícia: David Bowie morreu no domingo. Porém a obra deste artista diverso e multifacetário torna concreta a metáfora do "passo a eternidade" que deixou uma profunda marca na música e na estética dos séculos XX e XXI.

Augusto Dorado

@AugustoDorado

quinta-feira 14 de janeiro de 2016| Edição do dia


David Bowie Five Years Subtitulado - YouTube


David Bowie Heroes legendado - YouTube


David Bowie - Let's Dance (Tradução) - YouTube


David Bowie - China Girl (Tradução) - YouTube


David Bowie - Lazarus Legendado Português - YouTube


David Bowie - Slow Burn (Subtitulado) - YouTube

Apesar de alguns lamentos hipócritas e falsos, por exemplo os de Ricardo Montaner ou do Governo da Alemanha ( que o classificou como "um dos nossos"), deve ter como genuínos a grande maioria.

David Bowie Five Years Subtitulado - YouTube

É que a obra artística de David Bowie - que não se reduz em absoluto a música - tocou milhões de pessoas de diversas gerações: desde do final dos anos 60, quando começou a ecoar seu próprio nome escolhido (o verdadeiro era David Jones) da mão do seu primeiro sucesso SpaceOddity; passando por centenas de ilhares de crianças que disfrutaram seu papel como Jareth, o "Rei dos Goblins", no filme de fantasia Labyrinth (1986); ou os adolescentes que na década de 80 deslumbraram-se com os inovadores videoclipes de suas músicas na MTV. E se não chegava a esse público diretamente, o fez através dos milhares de artistas aos que influenciou.

David Bowie Heroes legendado - YouTube

Embora sua passagem por disciplinas, tais como as artes plásticas (pintura e desenho), são eclipsado pela sua produção musical e cinematográfica, foi um artista impossível de classificar em disciplinas, gêneros, nem estilos. Nem sequer pode-se limitar a um só nome: foi a vez de Ziggy Stardust, Aladdin Sane (em jogo de palavras entre Aladino e insano). Thethin White Duke ("o Duque Branco", da época em qu abordou o Soul com uma originalidade inédita para um artistaque não era de origem afroamericana), mais David Bowie. E com todos seus diversos alteregos transcendeu.

David Bowie - Let's Dance (Tradução) - YouTube

Como produtor foi responsável pela decolagem da carreira solo de artistas ( e a vez amigos, a quem admirava) como Lou Reed (Transformer, 1972) e Iggy Pop (Theldiot e Lustforlife, ambos de 1977) com quem mais co-escreveu várias das obras destes álbuns de suas carreiras iniciais, dscos que estão eleitos entre os melhores da década de 70.

David Bowie - China Girl (Tradução) - YouTube

Vanguardista em cada época que atravessou, colaborou e se associou com centenas de artistas para dar nascimento a novas inovações: desde as mais arriscadas como suas produções do que se conhece COMO A "Trilogia Berlim" junto a Brian Eno ( os discos Low, Heroes e Lodger), até as mais episódicas e pontuais como "UnderPressure" junto a Queen, "Fame" junto a John Lennon, ou a versão de "Dancing in the Street" junto a MickJagger. SE NÃO ERA SOBRE O episódico, era cenário: Bowie se interessava pela obra de muitíssimos de seus contemporâneos a quem visitava a maneira de "patrocínio", desde Television até Alicia Keys, passando por Peter Gabriel, TheClash, Devo, MassiveAttack, NinelnchNails, pelo nome só a alguns poucos.

David Bowie - Lazarus Legendado Português - YouTube

Escultor, criador e inovador em estilos tão diferentes com o Glam Rock, New Romantic, Jungle, Pop de sintetizadores, podia passar de um ao outro sem confusão; ou melhor sem necessidade de confusão porque se eles se conhecem tantas mudanças de estilo em sua carreira, como imagens ou "Looks". Podia fazer desde um tema cativante para um comercial de Pepsi, até música eletrônica para videogames, sempre com o filme muito presente retroalimentando suas inquietudes compositivas e com a teatralidade como relish suas encenações. O apelido de "camaleão" é talvez o que mais se aproxime para definir um artista indefinível, diverso e inclassificável.

Nem sequer se encerrava nos estilos em que aprendia a mover-se: entre suas peferências podiam encontrar-se discos de Reggae mais profundo cmo o "Forces of Victory" do poeta dub Linton Kwesi Johnson, álbum que recomendava e valorizava entre os 10 melhores da história da música, quem sabe se talvez porque emanava o clima de conflitos sociais de meados dos anos 70 em sua Brixton natal.

David Bowie - Slow Burn (Subtitulado) - YouTube

Muito menos se agarrou a costumes ou mandatos sociais e estava associado a diversidade sexual, um pouco pela imagem androgrena com a qual elevou a fama, mas além de não relacionar-se abertamente com a luta pelo direitos do movimento LGBT e apesar da ambiguidade de suas declarações públicas.

Podia ser suspeito de fascista (por alguns atitudes durante seus anos mais sórdidos) para admirador de Bertold Brecht, de quem interpretou a obra Baal e para que composse uma banda de som. Talvez seu autêntico pensamento se mostrava em uma de suas declarações: " Não serão os políticos os que terminarão com a opressão. Serão os radicais, com fedor nas suas roupas, rebelião em seus cérebros, esperança em seus corações e ação direta em seus punhos". Independente de suas posições políticas, esse pensamento es o que demonstrou com sua carreira artística.

Poucas vezes a metáfora do "Caminha pela eternidade" faz-se tão verdadeira como com David Bowie: apesar de sua ausência física, as faixas de sua obra estão presentes em quase tudo o que foi criado depois de que este homem caiu das estrelas.

Tradução de Alicia Noronha.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Cultura

Comentários

Comentar