Sociedade

INDÍGENAS

A Terra Indígena dos Awá Guajá está sofrendo risco de invasão

A Terra Indígena dos Awá Guajá, da qual já houve invasão em 2014, está sendo novamente invadida.

quarta-feira 16 de janeiro| Edição do dia

Imagem: Sebastião Salgado/ Pinterest

De acordo com relatos indígenas para a jornalista da Globo Mirian Leitão, existem fazendeiros que já estão instalados por lá, arvores sendo derrubadas e rebanho pastando por lá. Esta tribo é definida pela Funai como ’’de recente contato’’, a maioria só fala a linguá Guajá. Antonio Guajajara, da Terra Caru afirmou para a jornalista da Globo que eles estão correndo extremo perigo.

No Maranhão, os remanescentes da Floresta Amazônica estão em três terras indígenas: Awá Guajá, Caru e tem mais duas aldeias de Awá e a Ti Alto Turiaçu onde vivem os Ka’apor. Depois da invasão e da retirada destes ocupantes ilegais, os Guajajara formaram dois grupos de vigilantes cujo o objetivo é a conscientização e a importância da preservação da floresta, os guardiões da floresta e as Guerreiras da Floresta.

Um dos principais responsáveis hoje pela essa situação é Jair Bolsonaro, que logo nos primeiros dias que ele foi eleito presidente decretou uma lei em que os fazendeiros e indígenas podem atuar juntos nas terras que pertencem aos indígenas. Sabemos que isso é um total absurdo, pois além de desconsiderar todo histórico de mascares dos indígenas por conta dos fazendeiros, também não leva em consideração os interesses antagônicos destes setores.

Os povos originários não querem uma terra para poder lucrar, muito pelo contrario, querem uma terra para poder morar e ter sua vida dignamente. Diferente dos fazendeiros que procuram terras para poder devastar e aumentar a sua taxa de lucro. Ao mesmo tempo, Bolsonaro esvazia o papel de fiscalização da Funai, deixando a mercê o papel de fiscalizar as terras indígenas para o Ministério da Agricultura.




Tópicos relacionados

Bancada Ruralista   /    Governo Bolsonaro   /    Bancada do boi   /    Bolsonaro   /    Indígenas   /    Sociedade   /    Povos indígenas

Comentários

Comentar