Internacional

ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS EUA

A Convenção Republicana nomeia Donald Trump como candidato presidencial

Finalmente, o candidato da direita Donald Trump, foi oficialmente anunciado à corrida pela presidência dos Estados Unidos pelo Partido Republicano, em meio de protestos de organizações da comunidade latina, afroamericana e de mulheres e um forte efetivo de segurança.

quarta-feira 20 de julho de 2016| Edição do dia

Depois de transcorrido o segundo dia da convenção do Partido Republicano, Donald Trump se alçou como o candidato oficial à presidência pelo partido. Apesar da resistência de seus opositores, que tentaram prosseguir com um procedimento que barrasse sua nomeação, e depois de um discurso de sua esposa Melania que gerou acusações de plágio, o anuncio de apoio dos delegados eleitorais do Estado de Nova York, lar do candidato, lhe assegurou a maioria necessária.

Mesmo com os boatos de que o segundo dia da convenção seria caótico, o senador Mike Lee, um dos opositores ao magnata imobiliário, disse que os esforços de alguns delegados por bloquear a nomeação de Trump haviam chegado ao fim. “Não vejo forma de evita-lo”, disse o parlamentar de Utah durante a convenção, realizada em Cleveland.

Trump chegou à convenção sem apoio do establishment republicano e com um discurso reacionário xenófobo, com um grande conteúdo nacionalista e de populismo de direita. Contra muitos prognósticos, Trump se transformou em voz do descontentamento da base de direita do partido que se sente cada vez mais distante da elite política.

O triunfo da retórica xenófoba: “EUA primeiro”

A nomeação de Trump se oficializa em meio a crescente tensão em razão dos assassinatos racistas pela mão da polícia, os recentes protestos e tiroteios contra oficiais.

Sua campana esteve marcada por frequentes críticas, devido a seu conteúdo racista e xenófobo sobre muçulmanos, latino-americanos, imigração ilegal e o comercio, o que gerou um grande rechaço em diversos setores da população e imigrantes, e gerou também o incômodo de muitos dirigentes do Partido Republicano.

Tradução do tweet: É uma grande honra ser oficialmente candidato republicano para concorrer à Presidência dos Estados Unidos. Trabalharei duro e nunca desapontarei vocês! AMERICA PRIMEIRO!

Devido a isso, responsáveis pelo partido pretendem suavizar alguns dos aspectos mais reacionários e apresentá-lo como um criador de empregos e alguém com mão dura para lutar contra as ameaças de segurança domésticas e internacionais.

A convenção deve nomear o governador de Indiana, Mike Pence, de 57 anos, como candidato à vice-presidência e companheiro de chapa.

Buscam dessa forma unir as fileiras de um partido dividido. Com o perfil mais “centrado” e laços com Washington, se espera que Pence cumpra o papel de ligação entre Trump e o partido e ajude a reunir o apoio necessário.

Melania Trump e sua musa, Michelle Obama

Na segunda feira 17, começou em Cleveland, Ohio, a Convenção Nacional republicana aonde a esposa de Donald Trump e aspirante a primeira dama, Melania, deu um discurso com passagens surpreendentemente similares ao que deu Michelle Obama na Convenção Democrata de 2008.

Logo que os críticos a acusaram de plagiar passagens do discurso da primeira dama, um empregado da campana de Trump sugeriu que a similaridade poderia ser consequência de um erro dos redatores do texto de Melania Trump.

O presidente do Comitê Nacional Republicano, Reince Priebus, disse que provavelmente despedirá o redator caso se confirme que houve plágio.




Tópicos relacionados

Eleições Estados Unidos   /    Internacional

Comentários

Comentar