Sociedade

DESEMPREGO

63,6mil vagas com carteira assinada são fechadas em março

Contrariando expectativa de analistas do mercado financeiro, vagas formais tem expressiva queda.

quinta-feira 20 de abril| Edição do dia

A recente pesquisa realizada pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em março deste ano, constatou a diminuição de mais de 63 mil vagas de emprego formal em todo o país. O resultado, que contraria as expectativas dos analistas, escancara a crescente onda de demissões ocorrida nos empregos com carteira assinada sob o argumento da crise financeira no Brasil

As estimativas indicavam uma possibilidade de a taxa para o mês de março ficar entre 37 mil vagas fechadas e 40 mil vagas abertas, mas o resultado impressionou e atingiu a casa de 63.624 demissões.

A medida em que avança a reforma trabalhista no congresso nacional a possibilidade de terceirização de atividades fim se torna mais palpável aos olhos dos patrões. O momento da crise é também visto como uma forma de renovação da mão de obra nas empresas e armar a jogada para aprovação da lei de terceirização pode ser vital para tal grau de flexibilização. Sob o argumento de “criar novos empregos” os políticos tramitam às pressas a lei de terceirização que dificulta ainda mais o acesso dos trabalhadores aos direitos sociais. Sendo assim, os patrões avançam nas demissões vislumbrando preencher estes postos de trabalho futuramente com trabalhadores que estarão sob a nova legislação trabalhista criada para expandir o lucro dos grandes empresários.




Tópicos relacionados

Desemprego   /    Sociedade

Comentários

Comentar