Política

CASTAS PRIVILEGIADAS

6 motivos do porque o fim do foro privilegiado para políticos não acaba com a corrupção

sexta-feira 4 de maio| Edição do dia

Estão sendo feitas uma série de propagandas dizendo que o fim do foro privilegiado tem o objetivo de acabar com os privilégios dos políticos e combater as corrupção. O Esquerda Diário elencou 6 argumentos do porquê isso não é verdade.

1- Na mão de juízes de primeira instancia nada está garantido que a corrupção vai ser de fato combatida, muito pelo contrário, vemos numerosos casos contra diversos corruptos que não são sequer julgados. Um exemplo disso é os mensalões do PSDB e do DEM até agora ficaram em primeira instância no judiciário e não levaram a lugar algum.

Ou seja, mesmo com uma série de provas, diversos corruptos se mantêm sem julgamento, mostrando a clara arbitrariedade do judiciário, que prende apenas aqueles que lhes interessam.

2- Como essa medida combate os privilégios sendo que juízes ganham mais de 100 mil reais e têm auxílios moradia de R$4.773 por mês mesmo tendo imóveis próprios? Os deputados têm salários e benefícios que, se somados, custam R$ 168,6 mil por mês pagos com dinheiro público. Assim como senadores, promotores, etc. que recebem salários e benefícios milionários.

Não só os privilégios materiais são mantidos, mas também os legais. Os juízes continuam tendo foro privilegiado e impedidos de serem investigados por seus crimes. Seriam esses juízes, cheios de privilégios e com carta branca para fazer o que quiserem, uma opção para acabar com a corrupção?

3- Esses privilégios servem para garantir que os juízes e políticos usem o Estado como balcão de negócios da burguesia. Aprovando leis, reformas, ajustes e medidas que beneficiem os empresários e não a população. Não atoa, houve um golpe em 2016 para que fosse possível aplicar a reforma trabalhista, o congelamento de investimentos em saúde e educação por 20 anos e querem também aprovar a reforma da previdência e nos fazer trabalhar até morrer.

4- Os juízes e procuradores da lava jato lucram com as delações premiadas. Parte do dinheiro roubado, que deveria voltar pro Estado ou para as empresas estatais lesadas, vão para uma conta na Caixa Econômica Federal controladas por juízes como Moro, Bretas e pelo Ministério Público Federal.

5- Essa medida também fortalece o judiciário que está totalmente alinhado a interesses imperialistas. Não por acaso a Petrobrás foi uma das principais empresas atacadas pela Lava-jato e hoje recebe ameaça de privatização. Tanto os ataques do governo Temer contra os nossos direitos trabalhistas, quanto os ataques do judiciário aos nossos direitos democráticos, dando um golpe no país e retirando o direito do povo decidir em quem votar, tem o claro objetivo de descarregar a crise econômica mundial nas nossas costas. Enquanto mantém os lucros dos banqueiros e empresários.

6- Um combate de fato a corrupção não é possível sem antes se enfrentar diretamente com o imperialismo e com os privilégios dos corruptos. Lutando para que os políticos e juízes ganhem o mesmo que uma professora, acabando com os super salários e benefícios, para que os juízes sejam eleitos e revogáveis pela população e para que todos os crimes sejam julgados por juri popular. Fazendo com que assim, a população investigue os corruptos de acordo com seus interesses.




Tópicos relacionados

Operação Lava-Jato   /    STF   /    "Partido Judiciário"   /    Política

Comentários

Comentar