Sociedade

DOSSIÊ 6 MESES SEM JUSTIÇA POR MARIELLE FRANCO

6 meses sem respostas: Anderson Gomes, Presente!

sexta-feira 14 de setembro| Edição do dia

O assassinato da vereadora do PSOL, Marielle Franco, sensibilizou centenas de milhares trabalhadores, trabalhadoras e jovens por todo país, mas a brutalidade desse crime repercutiu diretamente na vida e na família de seu motorista, Anderson Gomes que também foi vítima desse crime. Certamente, não era o objetivo dos assassinos, nem de seus mandantes acabar com a vida de um indivíduo que não era seu inimigo político por denunciar o genocídio do povo negro e de periferia, no entanto Anderson Gomes também foi uma vítima fatal desse assassinato covarde.

Três balas atingiram o lado esquerdo das cotas do motorista que morreu antes mesmo de ser socorrido, Anderson, assim como Marielle foram vítima de um política reacionária que combate aqueles que denunciam a Intervenção Federal do Rio de Janeiro e as violações dos direitos humanos nas favelas executados por policiais.

Anderson tinha 39 anos, nascido e criado na favela da Fazendinha no Complexo do Alemão, era um trabalhador de origem humilde. Trabalhava há dois meses como motorista da Marielle, tinha um filho de apenas um ano de idade que portava necessidades especiais, além do filho pequeno, Anderson deixou também sua esposa de 28 anos, Ágatha Reis. Seu filho nasceu com má formação, e por conta disso, Anderson arranjou esse "bico" de motorista da vereadora para aumentar a renda familiar e conseguir pagar não apenas as contas de casa, mas também cobrir os gastos referentes à saúde do filho.

Gritamos "Anderson presente!" e reivindicamos não apenas a memória de uma trabalhador assassinado enquanto trabalhava, mas também pela necessidade de encontrarmos de fato os verdadeiros assassinos e seus mandantes desse crime brutal.




Tópicos relacionados

Marielle Franco   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Sociedade

Comentários

Comentar