Mundo Operário

ACIDENTES DE TRABALHO

28 de abril - Dia em memória das vítimas de acidentes de trabalho

quinta-feira 28 de abril de 2016| Edição do dia

Em 28 de abril de 1969 após uma explosão em uma mina na cidade de Farminghton nos Estados Unidos, 78 trabalhadores morreram. Outros milhões seguiram morrendo, sofrendo mutilações e outros tipos de acidentes em todo o mundo até os dias atuais. Desde 2003 a OIT (Organização Internacional do Trabalho) adota o 28 de abril como o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho. No Brasil a data foi reconhecida oficialmente em 2005. Contra a hipocrisia dos órgãos oficiais, governos e patrões que promovem uma cínica campanha sobre o tema, o Esquerda Diário, uma mídia a serviço dos trabalhadores, entra no dia 28 denunciando a persistência da tragédia de todos os dias milhares de acidentes de trabalho seguirem acontecendo.

Nas palavras do médico Gilson Dantas, “O patrão controla com mão de ferro o ambiente de trabalho, mas quem se acidenta são os trabalhadores. É dessa inversão que vem o acidente. O acidente é fruto desse controle com mão de ferro das condições de produção, onde a patronal quer tirar o máximo de horas de trabalho gratuitas, o máximo de tempo, cada minuto de tempo do trabalhador, impõe o ritmo de trabalho, as condições de trabalho e finalmente os acidentes de trabalho. Então eles não caem do céu, na verdade não são acidentes, com o rigor da palavra, porque o planejamento da fábrica que é feito pelo patrão, planejamento da produção, da empresa, feito pelo patrão e seus auxiliares, não é feito para evitar o acidente de trabalho e sim para obter o máximo de lucro, o máximo de tempo e de produtividade.”

Publicamos esse conjunto de matérias como contribuição para que os trabalhadores e a juventude conheçam a realidade dos acidentes de trabalho no país, buscando fortalecer a luta que necessariamente passa pela auto organização operária nos locais de trabalho e pelo controle operário da produção, pois somente assim o ritmo, as leis e as condições do trabalho, uma vez controlados pelos trabalhadores, poderão ser mais seguros e saudáveis.

Confira as matérias:

Acidentes de trabalho: A guerra da patronal contra a classe trabalhadora – Gilson Dantas - ler

Um amigo preso entre as máquinas - ler

Governos e patrões, duas frentes de ataque contra a saúde e segurança dos trabalhadores - ler

Brasil é o 4º país no ranking mundial de mortes por acidentes de trabalho - ler

A explosão de acidentes de trabalho por trás do milagre econômico - ler

Dimensionando o fosso da subnotificação - ler

Tecnologia e desumanidade nas fábricas - ler

Andreia, ex-cipeira da JBS fala sobre os acidentes de trabalho - ler

Luta contra o percloro - ler

Assédio moral um combate também na USP - ler

A terceirização e a falta de direito a ter uma CIPA - ler

O desmonte do Hospital da USP e o aumento de riscos aos pacientes e acidentes de trabalho - ler

Relato de um jovem trabalhador sobre suas experiências nas fábricas - ler

“Conseguir protetor é um parto” - ler

45% dos trabalhadores dos bandejões da USP estão doentes - ler




Tópicos relacionados

Acidentes de Trabalho   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar