Sociedade

ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA

250 famílias são despejadas pela Polícia Federal em João Pessoa

Neste 12 de julho, 250 famílias foram despejadas da Ocupação Mulheres Guerreiras, no Bairro das Indústrias em João Pessoa-PB, em ação de Reintegração de Posse comandada pela Polícia Federal (PF) com apoio da Polícia Militar (PM) e Corpo de Bombeiros.

quinta-feira 12 de julho| Edição do dia

A Ocupação Mulheres Guerreiras reunia cerca de 250 famílias sem teto, em uma obra inacabada do projeto Minha Casa Minha Vida no bairro das Indústria em João Pessoa, desde 2017. A obra estava parada à quatro anos, quando começou a ocupação, que se tornou o lar de famílias inteiras, com especial destaque para liderança feminina no movimento.

Nidia da Silva Medeiros, de 27 anos, mãe de cinco filhos, que vive com um salário mínimo de funcionária pública, contou ao Jornal Brasil de Fato, em 19 de Maio, que “Se não precisássemos não estaríamos aqui não. Quem ficou é porque não tem para onde ir. Tem outras pessoas de outras ocupações que vieram aqui, mas porque moravam em barracos e quando chove estoura de água, só sabe quem mora nessas condições”.

Hoje (12 de julho), a Polícia Federal, juntamente como a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros executaram o mandado judicial de reintegração de posse colocou essas 250 famílias para fora, a pedido da Caixa Econômica Federal (CEF), solicitante da reintegração de posse.

De acordo com a nota do Movimento Terra Livre “Foram mais de 400 policiais, 2 helicópteros, cavalaria, canil, choque, Gate, polícia federal, Sedurb que chegaram no meio da madrugada com um trator já derrubando o muro, jogando bomba de gás, bala de borracha, batendo e expulsando os moradores, adultos e crianças.” .

É preciso não calar diante da ação escandalosa do Estado brasileiro, através do seu braço armado, e reforçar, como aparece, também, na nota do Movimento Terra Livre “Não abaixar a cabeça nem desistir da luta por MORADIA DIGNA”.




Tópicos relacionados

Sem-teto   /    Reintegração de Posse   /    Sociedade

Comentários

Comentar