Educação

UFCG

18M: ADUFCG organiza pela base construção da greve da educação e do funcionalismo público

No marco da agenda de lutas deliberada no 39º Congresso da Associação Nacional dos Docentes de Ensino Superior (ANDES-SN) realizado em São Paulo no início deste mês, a Associação dos Docentes da Universidade Federal de Campina Grande (ADUFCG) assim como outras sessões sindicais no país intensifica a organização pela base na perspectiva de construir uma greve geral da educação e do funcionalismo público frente aos ataques do governo Bolsonaro.

sexta-feira 21 de fevereiro| Edição do dia

Para isto, a Comissão de Mobilização da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Campina Grande (ADUFCG), em reunião realizada nesta quinta-feira, 20 de fevereiro, depois dos informes e certo debate sobre a situação política, avançou em algumas deliberações.

Por consenso se manteve a deliberação de convocar a Assembleia geral da categoria na primeira semana de retomada das aulas na UFCG, na quarta-feira 11 de março às 09:30 h, que acontecerá no Auditório do Centro de Humanidades (CH), que pautará dois temas centrais: em primeiro lugar, participar na greve nacional da educação no dia 18 de março, que também será uma greve do funcionalismo público federal, de forma ativa coordenando com os demais setores da cidade; em segundo lugar, também pautar nessa assembleia o indicativo de greve da categoria como posição política da base, a reunião conjunta do setor das instituições federais e estaduais de ensino de ANDES-SN, que se realizará nos dias 14 e 15 de março na cidade de Brasília (DF).

A comissão entendeu que é central reforçar o trabalho de base na perspectiva de construir a greve, para isso realizará panfletagens nos diferentes centros da UFCG, concentrando atividades de mobilização na quarta-feira, dia 04 de março, e na segunda-feira, 10 de março, o dia que se retomam as atividades na graduação. Da mesma forma participará das reuniões de unidades acadêmicas que sejam realizadas até a data da assembleia.

Uma nova reunião da Comissão de Mobilização da ADUFCG ficou marcada para sexta-feira, 28 de fevereiro, às 09 h, na sede do sindicato. Nessa reunião se avaliará como está a coordenação na cidade em relação com as demais entidades da educação e do funcionalismo para ter um 18 M combativo e de luta.

Desde Esquerda Diário entendemos que esta mobilização pela base e a solidariedade com as lutas em curso, como é o caso dos petroleiros, é o caminho para derrotar os ataques na educação do governo de extrema direita de Bolsonaro, assim como sua política de conjunto.




Tópicos relacionados

Weintraub   /    Governo Bolsonaro   /    Campina Grande   /    Centrais Sindicais   /    Educação

Comentários

Comentar