Internacional

FRANÇA

10 das 19 usinas nucleares em marcha lenta. Cortes locais de energia!

A greve ganhou a adesão das usinas nucleares em todo o território nesta quinta, 26. Das 19 plantas, 10 reduziram o fornecimento, segundo os primeiros números disponíveis até a metade do dia. Localmente, os cortes de corrente poderiam acontecer, especialmente relacionados à greve na ERDF [Rede de Distribuição de Eletricidade da França].

quinta-feira 26 de maio de 2016| Edição do dia

No total, a baixa da produção energética chegou a 5000 MW na metade do dia, com um pico de 1031 MW somente na central Nogent-sur-Seine. “Todas as centrais votaram greve e doze baixaram a carga durante a noite”, declarou Marie-Claire Cailletaud, porta voz da FNME-CGT [Federação Nacional de Minas e Energia da CGT – Confederação Nacional do Trabalho], o que torna plausível a hipótese do recurso à importação de eletricidade nas próximas horas ou dias.

Além disso, três usinas termoelétricas estão paradas atualmente: Cordemais (Loire-Atlantique), Gardanne (Bouches-du-Rhône) et Porcheville (Yvelines), onde os trabalhadores se recusaram a colocar em operação a central de apoio à produção.

“Estima-se que 50% a 80% dos trabalhadores estão em greve” sublinha Marie-Claire Cailletaud, enquanto a EDF [Eletricidade da França] minimiza os números, estimando a mobilização nacional em 9,89% dos trabalhadores em greve.

Se a gigante da eletricidade ganha tempo, ao assegurar que não haverá corte da eletricidade, a realidade e a forte mobilização dos trabalhadores está desafiando este discurso, que visa sobretudo desmotivar os grevistas. Assim, em Yvelines [Departamento da Franca localizado na região de Ile-de-France], os primeiros cortes de eletricidade foram registrados e os números até a metade do dia confirmam uma forte mobilização, que pode causar muita dor de cabeça ao estado maior da EDF e ao governo.

A CGT relata cortes no fornecimento de eletricidade em Ile-de-France [região de Paris], no Norte, ou ainda no Oeste da França. Cortes no fornecimento de energia confirmados por várias mídias locais, especialmente no Norte, no mercado de Lomme em Lille e em Boulogne-sur-Mer, no Mercado de Interesse Nacional (MIN) de Lille. Perto de Boulogne-sur-Mer, um supermercado Auchan foi evacuado depois de uma pane geral. Estes cortes não são diretamente relacionados à greve nas usinas nucleares. Na verdade, trata-se de um movimento dos trabalhadores da RTE [Rede de Transporte de Eletricidade]. Os grevistas protestam contra a abertura de capital, pertencente, por hora, 100% à EDF. Segundo o ramo de Minas e Energia do Sindicato, haveria um terço de grevistas na RTE.

Neste dia de mobilização nacional, os trabalhadores das usinas nucleares, como também das redes de distribuição de eletricidade não estão atrás. Somando-se à falta de combustível, a parada total do país é uma perspectiva longe de ser improvável, se ela vier a durar e a se generalizar.

Tradução: Rodolfo Ferronatto de Souza




Tópicos relacionados

França   /    Internacional

Comentários

Comentar