Política

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

10 Mentiras sobre a Reforma da Previdência contadas por Temer

Por um lado Temer está gastando milhões comprando os votos dos deputados para aprovar a Reforma da Previdência. Por outro investe pesado em um propaganda mentirosa querendo vender veneno como remédio para os trabalhadores se esse brutal ataque fosse uma “mini-reforma”.

quarta-feira 13 de dezembro de 2017| Edição do dia

Toda trabalhadora e todo trabalhador sabe que neste exato momento Temer está a
todo vapor gastando milhões para comprar deputados corruptos com o objetivo de
aprovar a Reforma da Previdência e que por outro lado está gastando milhões na mídia com uma propaganda mentirosa que dúvida da nossa inteligência nos querendo vender veneno como remédio. Neste artigo vamos desmascarar 10 mentiras que Temer, grandes empresários e partidos de direita falam sobre a Reforma da Previdência:

Mentira 1: A Reforma não atingirá direitos dos trabalhadores

Na Verdade: Haverá endurecimento dos requisitos para aposentadorias, redução do seu valor e diminuição dos benefícios. Para o trabalhador se aposentar recebendo 100% do salário de benefício, terá que contribuir por 40 anos. Quem se aposentar com tempo mínimo de contribuição (15 anos) receberá só 60% do salário de benefícios.

Mentira 2: Sem a Reforma não haverá dinheiro para saúde e educação

Na Verdade: Por meio da MP 795/17, o governo abriu mão, até 2040, de aproximadamente R$1 trilhão de reais em favor das petrolíferas (principalmente estrangeiras coma Shell à frente), valor maior que o dobro dos R$ 476 bilhões que o governo pretende economizar com a reforma Previdenciária.

Veja: "Isenção de 1 trilhão para petroleiras estrangeiras e a reforma da Previdência para o trabalhador"

Mentira 3: A Reforma atingirá somente servidores marajás

Na Verdade: Os maiores prejudicados serão os trabalhadores da iniciativa privada. O Governo esconde que a maior parte da economia pretendida de R$ 476 bilhões virá das alterações do regime geral.

Mentira 4: Sem a reforma o país vai quebrar.

Na Verdade: O Ministério da Fazenda revelou que o Regime Geral de Previdência Social deixou de arrecadar R$ 57,7 bilhões com Isenções e renuncias fiscais no ano passado. Quando nós trabalhadores não pagamos os impostos ou atrasamos um pagamento e contraímos uma dívida com o governo ou com os bancos arrancam até a nossa pele. Quando um grande banqueiro ou grande empresário deve milhões e até bilhões ao governo é perdoado com isenções e renuncias fiscais. Justamente porque são esses empresários que financiam os
políticos e que estão envolvidos com eles em grandes esquemas de corrupção. Em 10 anos, esses perdões e renuncias que o governo faz vai superar a economia pretendida com a Reforma da Previdência considerando mesmo período de tempo.

Mentira 5: A Reforma trata todos igualmente

Na Verdade: Optou-se por deixar completamente de fora do debate a aposentadoria dos militares, de longe a mais desequilibrada. Inclusive militares que cada vez mais vem send expostos em casos de corrupção como recente escândalo que desviou milhões no exército. Os mais pobres, por terem expectativa de vida menor, serão mais prejudicados que os demais com o aumento do tempo de contribuição.

Veja também: " Mais uma vez Exército desvia milhões em esquema de corrupção no Rio" ->www.esquerdadiario.com.br/Mais-uma- vez-Exercito- desvia-milhoes- em-esquema- de-
corrupcao-no- Rio]

Mentira 6: Não há alternativa à Reforma para evitar o rombo nos cofres da Previdência

Na verdade: O governo esconde que deixa de cobrar R$ 427,73 bilhões dos grandes devedores da Previdência e que distribuí benefícios tributários para grupos econômicos privilegiados.

Mentira 7: Haverá regras de transição

Na Verdade: No serviço público, aqueles que trabalharam por anos e que já estão perto de se aposentar sofrerão imediatamente as consequências da reforma, não havendo tempo para realizarem novo planejamento de suas vidas.

Mentira 8: A Reforma iguala a aposentadoria dos servidores públicos à dos demais trabalhadores.

Na Verdade: A equiparação já foi realizada há anos. Ninguém que entrou no serviço público federal após 2013 terá aposentadoria acima do teto do INSS sem contribuir para planos de Previdência Complementar.

Mentira 9: Servidores Públicos se aposentam cedo

Na Verdade: Desde 1998, servidores têm que ter idade mínima para se aposentar (60 ano para homens e 55 para mulheres). Apesar de ser 5 anos menor que a exigida no regime geral, o tempo de contribuição dos servidores é muito maior: 35 anos (homens) e 30 (mulheres). No regime geral, a contribuição é de 15 anos.

Mentira 10: Os servidores públicos contribuem pouco

Na verdade: Todos os servidores públicos que ingressaram antes de 2013 contribuem com 11% do total de sua remuneração e continuam contribuindo depois da aposentadoria. A contribuição máxima do setor privado é de R$ 608,44 independentemente do valor do salário.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar